29 de dez de 2010

Devaneios - Julio Iglesias


Meu vídeo que acabei de postar no youtube,
espero que gostem :))





20 de dez de 2010


Razão do meu viver. 


O meu amor percorre o espaço 
E lhe busca tão longe... 
Nas lembranças do seu querer tão doce. 
Você que é a paixão do meu viver 
A razão do meu querer. 
Que carrega meu dia de alegria. 
Quem me faz sonhar de olhos abertos 
Com caminhos incertos. 
Um amor tão grande 
Que me fez tão gigante 
Que adentrou por mim 
Transformou-me, sim... 
Trazendo tanta doçura... 
E a única coisa que consigo dizer agora, 
Espelha só um pouquinho 
O que me vai na alma... 
TE AMO!!!!!!!






21 de set de 2010

"Não importa onde você parou, em que momento da vida você cansou,
o que importa é que sempre é possível e necessário recomeçar.
Recomeçar é dar uma chance a si mesmo..."  (Carlos D. de Andrade)


13 de set de 2010





"Amo como ama o amor. 
Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. 
Que queres que te diga, além de que te amo, 
se o que quero dizer-te é que te amo?".

Fernando Pessoa





10 de jul de 2010





"É proibido não transformar 
sonhos em realidade,
não viver cada dia como se fosse
um último suspiro."

- Pablo Neruda –



2 de jul de 2010



Se eu chorar
╰☆╮vc me faz rir
▒♥▒Se eu fugir
╰☆╮Vc me faz voltar
▒♥▒Se eu teimar com vc
╰☆╮Vc me faz entender
▒♥▒Se eu não ver
╰☆╮Vc me faz enxergar
▒♥▒Se eu me calar
╰☆╮Vc me faz falar
▒♥▒Se eu dormir
╰☆╮Vc me faz sonhar
▒♥▒Se eu pensar em desistir
╰☆╮Vc me faz insistir
▒♥▒Se e eu não te ouvir
╰☆╮Vc me faz escutar
▒♥▒Se eu não souber
╰☆╮Vc me faz procurar
▒♥▒Se eu tiver medo
╰☆╮Vc me faz acreditar
▒♥▒Se e eu for orgulhosa
╰☆╮Vc me ensina a humildade
▒♥▒Se eu tiver raiva
╰☆╮Vc me mostra o carinho
▒♥▒Se eu penso q vc já não se importa
╰☆╮Vc me faz sentir importante
▒♥▒Se eu me sentir sozinha
╰☆╮Vc me faz ver que está sempre ao meu lado
▒♥▒Se eu estiver perdida
╰☆╮Vc me indicará o caminho
▒♥▒Se meu coração dói
╰☆╮Eu sei que vc vai cuidar com carinho.






Se acreditar nisso é ser sonhadora...


eu sou.

30 de jun de 2010




Era uma vez!


... Uma Ilha onde moravam todos os sentimentos,
a alegria, 
a tristeza,
a vaidade,
a sabedoria,
o amor e outros.
Um dia avisaram para os moradores dessas Ilha que ela ia ser inundada.
Apavorado, o amor cuidou para que todos os sentimentos se salvassem.
Ele disse:    -Fujam ! toda a Ilha vai ser inundada.
Todos correram e pegaram um barquinho, para irem a um morro bem alto,
só o amor não se apressou, e queria ficar um pouco mais na Ilha.
Quando estava quase se afogando, correu para pedir ajuda,
vinha vindo a riqueza, e ele disse:
-Riqueza me leva com você?
A riqueza respondeu:
-Não posso, você vai sujar meu barquinho novo.
Daí passou a tristeza, e ele disse:
-Tristeza me leva com você?
-Ah! Amor estou tão triste, prefiro não te levar.
Passou a alegria, mas ela estava tão contente que nem ouviu o amor.
Desesperado e achando que ia ficar para trás, o amor começou a chorar.
Então passou um velhinho num barco e falou:
-Sobe amor, que eu levo você.
O amor ficou tão feliz, que até se esqueceu de perguntar o nome do velhinho.
Chegou no alto do morro, e perguntou a sabedoria:
-Quem era o velhinho que me trouxe?
A sabedoria respondeu:
-O tempo!
-Mas porque só o tempo me trouxe?
-Porque só o tempo pode salvar um grande amor.

Em momentos de grande aflição e desespero,
quando estamos na busca da salvação do nosso amor,
devemos dar tempo ao tempo,
pois ele é o grande aliado que te ajudará nessa hora.



29 de jun de 2010

Felicidade Realista
Mário Quintana

A
 princípio, bastaria ter saúde, dinheiro e amor, o que já é um pacote louvável,
mas 
nossos desejos são  ainda mais complexos.

Não basta que a gente esteja sem febre: queremos, além de saúde, ser magérrimos,
sarados, irresistíveis.

Dinheiro? Não basta termos para pagar o aluguel, a comida e o cinema: queremos a
piscina olímpica e  uma temporada num spa cinco estrelas.

E quanto ao amor? Ah, o amor... não basta termos  alguém com quem podemos conversar,
dividir uma pizza  e fazer sexo de vez em quando.

Isso é pensar  pequeno: queremos AMOR, todinho maiúsculo.  Queremos estar visceralmente apaixonados, queremos ser surpreendidos por
declarações e  presentes inesperados,
queremos jantar à luz de  velas de segunda a domingo, queremos sexo selvagem e diário,
queremos ser felizes assim e não de outro  jeito. É o que dá ver tanta televisão.

Simplesmente esquecemos de tentar ser felizes de uma forma mais realista.

Ter um parceiro constante, pode ou não, ser sinônimo  de felicidade.
Você pode ser feliz solteiro, feliz  com uns romances ocasionais, feliz com um parceiro,
feliz sem nenhum.
Não existe amor minúsculo, principalmente quando se trata de amor-próprio.

Dinheiro é uma benção. Quem tem, precisa aproveitá-lo, gastá-lo, usufruí-lo.

Não perder tempo juntando, juntando, juntando.

Apenas o suficiente para se sentir seguro, mas não aprisionado.
E se a gente tem pouco, é com este pouco que vai tentar  segurar a onda,buscando coisas
que saiam de graça,  como um pouco de humor, um pouco de fé e um pouco de  criatividade.

Ser feliz de uma forma realista é fazer o possível e aceitar o improvável.
 
 Fazer exercícios sem
almejar  passarelas, trabalhar sem almejar o estrelato, amar sem almejar o eterno.

Olhe para o relógio: hora de acordar.

É importante pensar-se ao extremo, buscar lá dentro o que nos mobiliza, instiga e conduz
mas sem exigir-se desumanamente. A vida não é um jogo onde  só quem testa seus limites é
que leva o prêmio. Não  sejamos vítimas ingênuas desta tal competitividade.  Se a meta está alta
demais, reduza-a. Se você não está de acordo com as regras, demita-se.
Invente seu próprio jogo.
Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se  esqueça de que a felicidade é um sentimento
simples,  você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não  perceber sua simplicidade. Ela transmite
paz e não sentimentos fortes, que nos atormenta e provoca  inquietude no nosso coração. Isso pode
ser alegria, paixão, entusiasmo, mas não felicidade...




9 de mai de 2010







“Alguém disse …
… que um filho está no ventre durante nove meses; esse alguém não sabe que um filho está no coração por toda a vida.

… que seis semanas depois de se dar à luz se volta à normalidade; esse alguém não sabe que depois de se dar à luz não existe normalidade.

… que se aprende a ser mãe instintivamente; esse alguém nunca foi às compras com uma criança de três anos.

… que ‘bons pais’ fazem ‘bons filhos’; esse alguém pensa que as crianças vêm com manual de instruções e garantia.

… que as ‘boas’ mães nunca gritam; esse alguém nunca viu o filho quebrar a janela do vizinho com a bola.

… que não é necessário uma boa educação para se ser mãe; esse alguém nunca ajudou o filho a estudar matemática.

… que não se pode amar o quinto filho como o primeiro; esse alguém não teve cinco filhos.

… que não se pode encontrar nos livros todas as respostas às perguntas sobre como criar filhos; esse alguém nunca teve um filho que colocou um feijão no nariz.

… que o mais difícil de se ser mãe é o parto; esse alguém nunca deixou o filho no primeiro dia de creche.

… que uma mãe pode fazer o seu trabalho com os olhos fechados e uma mão atada atrás das costas; esse alguém nunca organizou uma festa de aniversário para a sua filha.
 … que uma mãe pode deixar de se preocupar com os filhos qundo se casam; esse alguém não sabe que o casamento agrega genros e noras ao coração de uma mãe.


… que o trabalho de uma mãe termina quando o último filho sai de casa; esse alguém não tem netos.

… que uma mãe sabe que o seu filho a ama, por isso não é necessário dizer-lhe; esse alguém não é mãe.

… que uma mãe não necessita da compreensão e do ‘eu gosto muito de ti’ de um filho; esse alguém não é filho.”




Este texto é dedicado à minha mãe Elizabeth que amo tanto a quem devo tudo que sou e tenho, à minha sogra Nadyr minha 2ª mãezinha, à Roseliana (mãe da Melissa (minha norinha) e que há 1 ano e meio tb é 2ª mãe do meu filho Guzz, a quem agradeço todo carinho que dedica a ele), à Maristela (minha prima, minha irmã, minha anjinha), à Angélica e Mari (minhas cunhadas e minhas irmãzinhas), às minhas colegas de trabalho e irmãzinhas da igreja, às mamães gerryanas e suas mamães e a todos meus amigos que muitas vezes são pais e mães...FELIZ DIA DAS MÃES COM AS BENÇÃOS DE DEUS E EM TODOS OS OUTROS DIAS QUE TAMBÉM SÃO MUITO SEUS...Beijinhos...Cindy



27 de abr de 2010

Oração a São Jorge


Oração a São Jorge

Eu andarei vestido e armado com as armas de São Jorge para que meus inimigos, tendo pés não me alcancem, tendo mãos não me peguem, tendo olhos não me vejam, e nem em pensamentos eles possam me fazer mal.
Armas de fogo o meu corpo não alcançarão, facas e lanças se quebrem sem o meu corpo tocar, cordas e correntes se arrebentem sem o meu corpo amarrar.
Jesus Cristo, me proteja e me defenda com o poder de sua santa e divina graça, Virgem de Nazaré, me cubra com o seu manto sagrado e divino, protegendo-me em todas as minhas dores e aflições, e Deus, com sua divina misericórdia e grande poder, seja meu defensor contra as maldades e perseguições dos meu inimigos.
Glorioso São Jorge, em nome de Deus, estenda-me o seu escudo e as suas poderosas armas, defendendo-me com a sua força e com a sua grandeza, e que debaixo das patas de seu fiel ginete meus inimigos fiquem humildes e submissos a vós. Assim seja com o poder de Deus, de Jesus e da falange do Divino Espírito Santo.
São Jorge Rogai por Nós.


18 de abr de 2010

MANEIRA DE DIZER AS COISAS

























Uma sábia e conhecida anedota árabe diz que, certa feita, um sultão sonhou que havia perdido todos os dentes.
Logo que despertou, mandou chamar um adivinho para que interpretasse seu sonho.


- Que desgraça, senhor! - exclamou o adivinho. 
Cada dente caído representa a perda de um parente de vossa majestade.


- Mas que insolente! - gritou o sultão, enfurecido. 
Como te atreves a dizer-me semelhante coisa? 
Fora daqui!


Chamou os guardas e ordenou que lhe dessem cem acoites. 
Mandou que trouxessem outro adivinho e lhe contou sobre o sonho.


Este, após ouvir o sultão com atenção, disse-lhe:


- Excelso senhor! Grande felicidade vos está reservada. 
O sonho significa que haveis de sobreviver a todos os vossos parentes.


A fisionomia do sultão iluminou-se num sorriso e ele mandou dar cem moedas de ouro ao segundo adivinho. 
E quando este saía do palácio, um dos cortesãos lhe disse admirado:


- Não é possível ! 
A interpretação que você fez foi a mesma que o seu colega havia feito. Não entendo porque ao primeiro ele pagou com cem acoites e a você com cem moedas de ouro.


- Lembra-te meu amigo - respondeu o adivinho - que tudo depende da maneira de dizer...


Um dos grandes desafios da humanidade é aprender a arte de comunicar-se. 
Da comunicação depende, muitas vezes, a felicidade ou a desgraça, a paz ou a guerra.


Que a verdade deve ser dita em qualquer situação, não resta dúvida. Mas a forma com que ela é comunicada é que tem provocado, em alguns casos, grandes problemas. 


A verdade pode ser comparada a uma pedra preciosa. 
Se a lançarmos no rosto de alguém pode ferir, provocando dor e revolta. 


Mas se a envolvemos em delicada embalagem e a oferecemos com ternura, certamente será aceita com facilidade.


A embalagem, nesse caso, é a indulgência, o carinho, a compreensão e, acima de tudo, a vontade sincera de ajudar a pessoa a quem nos dirigimos.


Ademais, será sábio de nossa parte se antes de dizer aos outros o que julgamos ser uma verdade, dizê-la a nós mesmos diante do espelho.


E, conforme seja a nossa reação, podemos seguir em frente ou deixar de lado o nosso intento.


Importante mesmo, é ter sempre em mente que o que fará diferença é a maneira de dizer as coisas...


(Uma velha anedota árabe que muito pode ensinar aos impulsivos...)


Fonte: http://nalva-mileumafaces.blogspot.com/2010/04/maneira-de-dizer-as-coisas.html

17 de abr de 2010







ANTES DE SER MÃE!


Antes de ser mãe 
eu fazia e comia alimentos ainda quentes.
Eu não tinha roupas manchadas.
Eu tinha calmas conversas ao telefone.


Antes de ser mãe eu dormia
o quanto eu queria.
E nunca me preocupava
com a hora de ir para a cama.


Antes de ser mãe eu limpava
minha casa todo dia.
Eu não tropeçava em brinquedos
nem pensava em canções de ninar.


Antes de ser mãe 
eu não me preocupava se minhas plantas eram venenosas ou não.
Imunizações e vacinas eram
coisas em que eu não pensava.


Antes de ser mãe 
ninguém vomitou nem fez xixi em mim,
nem me beliscou sem nenhum cuidado, c
om dedinhos de unhas finas.
A vida corria tão veloz...


Antes de ser mãe eu tinha
controle sobre a minha mente,
meus pensamentos, meu corpo e meus sentimentos.
... Eu dormia a noite toda ... Sem me preocupar...


Antes de ser mãe 
eu nunca tive que segurar uma criança chorando 
para que médicos pudessem fazer testes ou aplicar injeções.


Antes de ser mãe 
eu nunca chorei olhando pequeninos olhos que choravam. 
E nunca fiquei gloriosamente feliz com uma simples risadinha.


Antes de ser mãe 
nunca fiquei sentada horas e horas 
olhando um bebê dormindo.
Nem segurei uma criança sem querer afastar meu corpo do dela.


Antes de ser mãe 
eu nunca senti meu coração se despedaçar
quando não pude estancar uma dor. 
Eu nunca imaginei que uma coisinha tão pequenina
pudesse mudar tanto a minha vida.


Antes de ser mãe 
eu nunca imaginei que pudesse AMAR alguém tanto assim.
Eu não sabia que eu adoraria ser mãe.


Antes de ser mãe 
eu não conhecia a sensação
de ter meu coração fora do meu próprio corpo. 
Eu não conhecia a felicidade de alimentar um bebê faminto.


Antes de ser mãe 
eu não conhecia esse laço que existe entre a mãe e a sua criança.
Eu não imaginava que algo tão pequenino 
pudesse fazer-me sentir tão importante.


Antes de ser mãe 
eu nunca me levantei à noite a cada 10 minutos.
Mesmo em frias madrugadas 
para me certificar de que tudo estava bem.


Antes de ser mãe 
nunca pude imaginar o Calor, 
a Alegria, 
o Amor, 
a Dor 
e a Satisfação 




de ser uma MÃE.




Essa postagem eu dedico a meu filho Gustavo, de quem tenho tanto orgulho de ser mãe. Te amo filho.


À Melissa (minha norinha) que é como uma filhinha pra mim, uma flor que Deus nos deu...AMO VC MÊ


Também dedico a todos os filhos e filhas, aos netos e bisnetos, a toda geração que veio após a nossa e que nos traz apesar de muitas vezes preocupações, supera qualquer coisa com seu amor e sua alegria...


e ao bebê da Aline e do Uéliton que ainda não chegou, mas que em breve tenho fé em Jesus que estará no meio de nós...



13 de abr de 2010





Pensando Bem, É Preciso Reciclar...
Viver bem, às vezes, é só uma questão de recomeçar, reaprender, reciclar.
Para que tudo tenha um novo impulso, ganhe uma nova luz.
Reciclar para imprimir novas palavras, novas experiências, novos sentimentos.
Avaliando erros para gerar acertos, mudando trajetos para entender os caminhos, 

olhando a vida, todo dia, com o coração novinho em folha.
Pensando bem, é esse o nosso papel, o que nos dá sentido.
Pois se fazendo como sempre foi feito 

a gente acaba chegando ao mesmo lugar, 
melhor então é rever, com clareza, o que verdadeiramente queremos, 
buscar sabedoria no que já fizemos e aí, então, 
realizar de outra maneira, fazer diferente, reinventar.
Crer para ver que há um poder 
impaciente por se revelar a quem não desiste, recria, vai em frente, 
buscando sempre, dentro de si, o melhor.






12 de abr de 2010


Quando depositamos muita confiança 
ou expectativas em uma pessoa, 

o risco de se decepcionar é muito grande.
As pessoas não estão neste mundo 
para satisfazer nossas expectativas,
assim como não estamos aqui para satisfazer as delas.
Temos que nos bastar.
Nos bastar sempre e, 
quando procurarmos estar com alguém, 

fazer isso ciente de que estamos juntos porque gostamos, 

porque queremos e nos sentimos bem, 
mas nunca por precisar de alguém.
As pessoas não se "precisam".
Elas se "completam".
Não por serem metades, 
mas por serem pessoas inteiras, 
dispostas a dividir objetivos comuns,
alegrias e vida.







15 de mar de 2010



E foi assim, sem perceber, que perdi minhas asas pra sempre. 
Sem poder voar, me atrasei pra vida. 
Desacostumada a andar, tropecei nas palavras. 
Desconhecendo os caminhos, me perdi. 
Depois da queda, já não havia lembranças. 
São tantos os momentos em que me sinto assim. 
Não sei onde. 
Ou porque. 
E tenho saudades dos tempos
em que mesmo sem asas, eu sabia voar. 
De quando eu fazia meu tempo. 
E de quando perdia minhas asas, 
mas sabia exatamente como encontrá-las.