15 de mar de 2010



E foi assim, sem perceber, que perdi minhas asas pra sempre. 
Sem poder voar, me atrasei pra vida. 
Desacostumada a andar, tropecei nas palavras. 
Desconhecendo os caminhos, me perdi. 
Depois da queda, já não havia lembranças. 
São tantos os momentos em que me sinto assim. 
Não sei onde. 
Ou porque. 
E tenho saudades dos tempos
em que mesmo sem asas, eu sabia voar. 
De quando eu fazia meu tempo. 
E de quando perdia minhas asas, 
mas sabia exatamente como encontrá-las.




Nenhum comentário: