27 de abr de 2010

Oração a São Jorge


Oração a São Jorge

Eu andarei vestido e armado com as armas de São Jorge para que meus inimigos, tendo pés não me alcancem, tendo mãos não me peguem, tendo olhos não me vejam, e nem em pensamentos eles possam me fazer mal.
Armas de fogo o meu corpo não alcançarão, facas e lanças se quebrem sem o meu corpo tocar, cordas e correntes se arrebentem sem o meu corpo amarrar.
Jesus Cristo, me proteja e me defenda com o poder de sua santa e divina graça, Virgem de Nazaré, me cubra com o seu manto sagrado e divino, protegendo-me em todas as minhas dores e aflições, e Deus, com sua divina misericórdia e grande poder, seja meu defensor contra as maldades e perseguições dos meu inimigos.
Glorioso São Jorge, em nome de Deus, estenda-me o seu escudo e as suas poderosas armas, defendendo-me com a sua força e com a sua grandeza, e que debaixo das patas de seu fiel ginete meus inimigos fiquem humildes e submissos a vós. Assim seja com o poder de Deus, de Jesus e da falange do Divino Espírito Santo.
São Jorge Rogai por Nós.


18 de abr de 2010

MANEIRA DE DIZER AS COISAS

























Uma sábia e conhecida anedota árabe diz que, certa feita, um sultão sonhou que havia perdido todos os dentes.
Logo que despertou, mandou chamar um adivinho para que interpretasse seu sonho.


- Que desgraça, senhor! - exclamou o adivinho. 
Cada dente caído representa a perda de um parente de vossa majestade.


- Mas que insolente! - gritou o sultão, enfurecido. 
Como te atreves a dizer-me semelhante coisa? 
Fora daqui!


Chamou os guardas e ordenou que lhe dessem cem acoites. 
Mandou que trouxessem outro adivinho e lhe contou sobre o sonho.


Este, após ouvir o sultão com atenção, disse-lhe:


- Excelso senhor! Grande felicidade vos está reservada. 
O sonho significa que haveis de sobreviver a todos os vossos parentes.


A fisionomia do sultão iluminou-se num sorriso e ele mandou dar cem moedas de ouro ao segundo adivinho. 
E quando este saía do palácio, um dos cortesãos lhe disse admirado:


- Não é possível ! 
A interpretação que você fez foi a mesma que o seu colega havia feito. Não entendo porque ao primeiro ele pagou com cem acoites e a você com cem moedas de ouro.


- Lembra-te meu amigo - respondeu o adivinho - que tudo depende da maneira de dizer...


Um dos grandes desafios da humanidade é aprender a arte de comunicar-se. 
Da comunicação depende, muitas vezes, a felicidade ou a desgraça, a paz ou a guerra.


Que a verdade deve ser dita em qualquer situação, não resta dúvida. Mas a forma com que ela é comunicada é que tem provocado, em alguns casos, grandes problemas. 


A verdade pode ser comparada a uma pedra preciosa. 
Se a lançarmos no rosto de alguém pode ferir, provocando dor e revolta. 


Mas se a envolvemos em delicada embalagem e a oferecemos com ternura, certamente será aceita com facilidade.


A embalagem, nesse caso, é a indulgência, o carinho, a compreensão e, acima de tudo, a vontade sincera de ajudar a pessoa a quem nos dirigimos.


Ademais, será sábio de nossa parte se antes de dizer aos outros o que julgamos ser uma verdade, dizê-la a nós mesmos diante do espelho.


E, conforme seja a nossa reação, podemos seguir em frente ou deixar de lado o nosso intento.


Importante mesmo, é ter sempre em mente que o que fará diferença é a maneira de dizer as coisas...


(Uma velha anedota árabe que muito pode ensinar aos impulsivos...)


Fonte: http://nalva-mileumafaces.blogspot.com/2010/04/maneira-de-dizer-as-coisas.html

17 de abr de 2010







ANTES DE SER MÃE!


Antes de ser mãe 
eu fazia e comia alimentos ainda quentes.
Eu não tinha roupas manchadas.
Eu tinha calmas conversas ao telefone.


Antes de ser mãe eu dormia
o quanto eu queria.
E nunca me preocupava
com a hora de ir para a cama.


Antes de ser mãe eu limpava
minha casa todo dia.
Eu não tropeçava em brinquedos
nem pensava em canções de ninar.


Antes de ser mãe 
eu não me preocupava se minhas plantas eram venenosas ou não.
Imunizações e vacinas eram
coisas em que eu não pensava.


Antes de ser mãe 
ninguém vomitou nem fez xixi em mim,
nem me beliscou sem nenhum cuidado, c
om dedinhos de unhas finas.
A vida corria tão veloz...


Antes de ser mãe eu tinha
controle sobre a minha mente,
meus pensamentos, meu corpo e meus sentimentos.
... Eu dormia a noite toda ... Sem me preocupar...


Antes de ser mãe 
eu nunca tive que segurar uma criança chorando 
para que médicos pudessem fazer testes ou aplicar injeções.


Antes de ser mãe 
eu nunca chorei olhando pequeninos olhos que choravam. 
E nunca fiquei gloriosamente feliz com uma simples risadinha.


Antes de ser mãe 
nunca fiquei sentada horas e horas 
olhando um bebê dormindo.
Nem segurei uma criança sem querer afastar meu corpo do dela.


Antes de ser mãe 
eu nunca senti meu coração se despedaçar
quando não pude estancar uma dor. 
Eu nunca imaginei que uma coisinha tão pequenina
pudesse mudar tanto a minha vida.


Antes de ser mãe 
eu nunca imaginei que pudesse AMAR alguém tanto assim.
Eu não sabia que eu adoraria ser mãe.


Antes de ser mãe 
eu não conhecia a sensação
de ter meu coração fora do meu próprio corpo. 
Eu não conhecia a felicidade de alimentar um bebê faminto.


Antes de ser mãe 
eu não conhecia esse laço que existe entre a mãe e a sua criança.
Eu não imaginava que algo tão pequenino 
pudesse fazer-me sentir tão importante.


Antes de ser mãe 
eu nunca me levantei à noite a cada 10 minutos.
Mesmo em frias madrugadas 
para me certificar de que tudo estava bem.


Antes de ser mãe 
nunca pude imaginar o Calor, 
a Alegria, 
o Amor, 
a Dor 
e a Satisfação 




de ser uma MÃE.




Essa postagem eu dedico a meu filho Gustavo, de quem tenho tanto orgulho de ser mãe. Te amo filho.


À Melissa (minha norinha) que é como uma filhinha pra mim, uma flor que Deus nos deu...AMO VC MÊ


Também dedico a todos os filhos e filhas, aos netos e bisnetos, a toda geração que veio após a nossa e que nos traz apesar de muitas vezes preocupações, supera qualquer coisa com seu amor e sua alegria...


e ao bebê da Aline e do Uéliton que ainda não chegou, mas que em breve tenho fé em Jesus que estará no meio de nós...



13 de abr de 2010





Pensando Bem, É Preciso Reciclar...
Viver bem, às vezes, é só uma questão de recomeçar, reaprender, reciclar.
Para que tudo tenha um novo impulso, ganhe uma nova luz.
Reciclar para imprimir novas palavras, novas experiências, novos sentimentos.
Avaliando erros para gerar acertos, mudando trajetos para entender os caminhos, 

olhando a vida, todo dia, com o coração novinho em folha.
Pensando bem, é esse o nosso papel, o que nos dá sentido.
Pois se fazendo como sempre foi feito 

a gente acaba chegando ao mesmo lugar, 
melhor então é rever, com clareza, o que verdadeiramente queremos, 
buscar sabedoria no que já fizemos e aí, então, 
realizar de outra maneira, fazer diferente, reinventar.
Crer para ver que há um poder 
impaciente por se revelar a quem não desiste, recria, vai em frente, 
buscando sempre, dentro de si, o melhor.






12 de abr de 2010


Quando depositamos muita confiança 
ou expectativas em uma pessoa, 

o risco de se decepcionar é muito grande.
As pessoas não estão neste mundo 
para satisfazer nossas expectativas,
assim como não estamos aqui para satisfazer as delas.
Temos que nos bastar.
Nos bastar sempre e, 
quando procurarmos estar com alguém, 

fazer isso ciente de que estamos juntos porque gostamos, 

porque queremos e nos sentimos bem, 
mas nunca por precisar de alguém.
As pessoas não se "precisam".
Elas se "completam".
Não por serem metades, 
mas por serem pessoas inteiras, 
dispostas a dividir objetivos comuns,
alegrias e vida.